terça-feira, 8 de novembro de 2011

História dos Repetidores de São Mamede - por CT2GPZ

De seguida apresenta-se um artigo da autoria de Jaime Pinheiro - CT2GPZ.


Divulgação:

História dos Repetidores de São Mamede.

Antes de mais os meus mais cordiais cumprimentos a todos os colegas e Amigos que me conhecem.
Para aqueles que não me conhecem, o meu nome é Jaime Pinheiro e sou operador da estação de amador CT2GPZ e venho tornar pública a história dos repetidores de São Mamede, dos quais sou seu responsável técnico à já 6 anos e os motivos pelos quais tive de os desligar.

No inicio do ano de 2005, ficou acordado com a antiga direcção da Associação de Radioamadores do Ribatejo - ARR, sendo na altura seu Presidente o colega João Coelho - CT1BWU, a alteração do seu responsável técnico, o nosso colega Joaquim Oliveira - CT1DZK , que por motivos profissionais teve de deixar o distrito onde residia. Assim sendo, este teve de entregar a manutenção e reparação a algum colega mais próximo, com alguma possível disponibilidade e conhecimentos para que os repetidores continuassem em funcionamento; tendo eu me prontificando, na sua ausência a tomar a responsabilidade dos mesmos, assim como auxiliado por mais um pequeno grupo de colegas, activos nessa altura, no distrito de Portalegre.

Desta forma com o meu compromisso e mais do nosso pequeno grupo ibérico, teríamos de tentar resolver uma premente questão fundamental adiada demasiadas vezes; os repetidores por estarem dentro das instalações da RR (Grupo Renascença) chegavam a estar desligados quase meio ano, pois era obrigatório levantar e entregar a chave da estação em Muge, Salvaterra de Magos, para assim se efectuar quaisquer pequenas ou grandes reparações ou alterações dos mesmos em caso de avaria. Existindo sócios nesta altura com o pagamento de quotas em dia, verificava-se que ao haver problemas no local, ou por falta de disponibilidade pessoal dos associados em Portalegre ou de alguém da Associação de Radioamadores do Ribatejo de nos poder auxiliar na deslocação e entrega, preferencialmente no mesmo dia, com a dita chave, as coisas iam ficando adiadas e a degradarem-se meses a fio.

Como se pode imaginar esta situação era quase impossível de manter, sendo de difícil gestão, o que carretava gravíssimos inconvenientes em termos de tempo gasto e de elevados custos pessoais e financeiros incomportáveis, para todos, a começar pelos sócios no distrito de Portalegre e mesmo para a "nossa" Associação. Havia que encontrar uma solução, mesmo que com elevados custos iniciais. Com os nossos conhecimento locais, foi possível contactar um grupo de vários donos de terrenos circundantes, tendo-se chegado à conclusão que existia um, a cerca de 100m das instalações da RR, no qual, os proprietários do terreno prontificaram-se a assinar os documentos necessários para que alguma associação de radioamadores pudesse recuperar ai uma pequena barraca já existente mas muito degradada e instalar ai equipamentos sem que para isso tivéssemos de pagar alguma renda em troca.

Em Março de 2005, as antenas dos repetidores ainda instaladas na RR foram substituídas, as mesma eram duas X510 que por motivo dos temporais sentidos no alto da serra, tinham metido água à muito tempo que por sua vez passou para dentro das baixadas existentes. Estas baixadas e as antenas estavam totalmente irrecuperáveis tendo sido tudo substituído por cabos coaxiais de baixas perdas H100 e antenas X200, material este cedido graciosamente pelo nosso colega José Gazallo, EA4VD comprando eu os conectores e os novos dúplex. Este trabalho foi executado por nós, conjuntamente pelos colegas Manuel Caldeira - CT2GKF e Tiago Realinho - CT2HFE, na presença e sob supervisão do colega Joaquim Oliveira - CT1DZK, para assim se poder mover os cabos dentro das instalações da RR. Estes repetidores já estavam a "trabalhar" nesta lamentável situação à quase 1 ano, sendo perceptível tanto nas más condições de emissão como de recepção, ao desmontar demos com as fichas exteriores cheias de água.

Continuando com a história, a 20 de Maio de 2005 o nosso grupo recuperou totalmente a barraca, construíram-se as fundações e instalou-se uma torre auto-suportada contruida por nós e compraram-se antenas novas, baixadas e duplex, sem nada pedir à nossa Associação de Radioamadores do Ribatejo - ARR, pois a associação na altura tinha só uma pequena X50 que pode fornecer para ser instalada na nova torre com 21 metros. Todos os elevados custos da reabilitação da barraca e torre foram suportados por mim Jaime Pinheiro - CT2GPZ, pelo meu pai Fernando Pinheiro - CT2GAY, Tiago Realinho - CT2HFE, José Gazallo - EA4VD, Manuel Caldeira - CT2GKF, Jorge- EB4EXX e seu pai. Temos feito muitíssimo pelos repetidores de São Mamede sem nada pedir em troca, mantendo em minha posse todas as facturas de material comprado para a criação deste local.

Tivemos muitos problemas para requerer à EDP a energia para a dita "casa", fomos obrigados por eles a meter o projecto de uma nova baixada desde a saída do PT até as novas instalações, tendo que pagar inclusive mais 2 postes de cimento armado para se poder passar o cabo de energia. Mais uma vez e sem pedir nada à nossa ARR fui capaz de angariar Donativos dos colegas EB4EXX ,EA4VD, EA4SR, EA4DZD, CT2GAY, CT2FXM, CT2FXU, CT2FZQ, CT2HFE, CT1FZC, CT1BSC, CT1CUJ, CT2GKS, CT1BAI, EB4EBM no montante de 880 euros para cobrir a factura exigida pela EDP para a instalação da nova baixada que orçou em 832 euros. Depois de esta situação resolvida e ao dar por terminada a "casa", fazendo as contas, só em materiais de construção gastamos perto de 400 euros, tendo ali empregue muitos e muitos dias de mão de obra completamente gratuita.

No inicio de Julho, depois das novas antenas estarem instaladas na nossa "casa" foram retirados definitivamente os repetidores das instalações da RR, assim como os cabos e alimentações, sendo possível colocar em funcionamento os repetidores de VHF e UHF no seu novo local, com um grupo de baterias de 200 Amperes em caso de corte de luz. O contador da EDP esteve provisório durante algum tempo, e aqui vinha mais uma etapa complicada de passar, tinha de ser feita a instalação interior da casa por uma empresa certificada, para que a Certiel desse aprovação da mesma, para ai ser instalado o contador definitivo. Então e mais uma vez sem nada pedirmos à nossa associação ARR, foi feita a instalação como deve de ser e pediu-se a certificação que custou na ordem de 200 euros.

Depois de tudo isto que vos apresentei, foi aumentando o número de equipamentos instalados e infelizmente diminuindo o grupo local de colegas que apoiavam toda esta estrutura já criada; uns não tinham posses para poder continuar a ajudar, outros tinham acabado de casar, outros simplesmente já nem ligavam o rádio e assim foi passando as ajudas para o pagamento da energia eléctrica à EDP, durante quase estes 6 anos suportei sozinho o pagamento das facturas e fazendo contas ficou em mais de 4700 euros.

Algum tempo depois ainda e com o nosso colega João Coelho - CT1BWU à frente da ARR o D-Star chegou ao Alentejo e cá tinha mais uma etapa para consegui passar.

Mais uma vez, sem nada pedir a ARR, consegui angariar mais de 325 euros para os links de 5Ghz enviarem os sinais da internet para a serra de São Mamede a partir da minha casa em Portalegre, passando por um cabeço ao lado até ir ao ponto mais alto da serra, desta forma foram comprados 2 APS e 2 clientes mas infelizmente e muito embora os meus apelos desta vez o dinheiro não chegou metendo eu o restante. Donativos de: CT1BBP, CT2IMT, EA4EUY, EA4ZM, CT2JPJ e CT1FBF.

Um mês depois de instalado, e de um aturado esforço para o pôr a trabalhar devidamente, o repetidor D-STAR da ARR foi retirado do local, por motivos certamente de força maior, penso que a ARR tinha na altura outras alternativas onde o colocar mas até hoje não temos sinal dele. Aguardei que alguma associação se prontifica-se a instalar no local uma outra máquina idêntica, e assim apareceu a Rede dos Emissores Portugueses - REP que tem dado bastante apoio até hoje. Foram comprados novos Links da internet e instalados com sucesso fazendo trabalhar o D-Star e o 1º Repetidor Multimédia montado por mim não Alto Alentejo, tudo a trabalhar em perfeitas condições.

No dia 10 de Janeiro de 2010 e com o violentíssimo temporal que se fazia sentir naquele dia, desloquei-me à serra para verificar se estava tudo em ordem com a torre auto suportada construída por nós, reparei que os parafusos da base que suportavam a torre triangular de 19mm estavam completamente desapertados devido á forte trepidação, tudo foi fixado às 0h da noite para que a mesma não viesse parar ao chão, mas infelizmente na noite seguinte o vento de norte foi muito forte e aconteceu o pior. Eram já 0h30, do dia 12, quando os repetidores deixaram de "dizer nada", rapidamente subi à serra imaginando o pior e deparei-me com um pesadelo; as antenas estavam todas partidas, os cabos arrancados, a iluminação aérea tinha desaparecido, a torre tinha por fim colapsado por completo. Neste dia eram 2 da manhã com 2 graus positivos e estava eu sozinho e totalmente encharcado a desmontar tudo, tentando aproveitar ao máximo o material ainda existente.

Mais uma vez tive de travar mais uma dura batalha, contactos e mais contactos, horas a pensar que fazer á vida para tentar arranjar uma alternativa; consegui 2 alternativas. Uma delas, 1 torre para desmontar cedida pela ARR, mas infelizmente voluntários para ajudar zero, outra que apareceu recuperada vinda de uma empresa que faliu e aproveitei, pois por menos de 3000 euros, ficamos com uma torre praticamente nova com 40 metros de altura.

A partir daqui não posso fazer mais, pois no tempo em que estamos, quando os gastos tem de ser minimizados, fiz tudo por tudo para que o Radioamadorismo fosse em frente no Alentejo e acho que cumpri bastante bem com a minha dedicação técnica; em toda esta estrutura criada, reparando as avarias dos repartidores da associação sem nada levar em troca, dei tudo de mim para que no Alentejo profundo, a Serra de São Mamede ilumina-se todos os rádio amadores ibéricos.

O que mais me custa é que eu Jaime Pinheiro - CT2GPZ e o CT2GAY meu pai, conjuntamente com o José - EA4VD, tenhamos ficamos sócios honorários da ARR devido à manutenção de esta estrutura e tudo isso passou a história com a nova direcção presidida pelo colega Vítor Gomes - CT1BYK, assim como a promessa de ser entregue alguns dinheiros das quotas de sócios daqui da zona para ajuda do pagamento da energia à EDP e para possível instalação de um repetidor de TVA, mas até hoje esse dinheiro nunca chegou.

Espero que todos os Radioamadores portugueses e não só, compreendam esta triste situação e aqui fica a História dos repetidores de Sâo Mamede que neste momento aguardam por novas licenças e alteração de fornecimento de energia eléctrica. Tudo farei para que tudo isto um dia volte a ficar no ar.

Obrigado. CT2GPZ
---

Nota: O conteúdo deste artigo é da única e exclusiva responsabilidade do seu autor.
Este artigo, bem como o seu pedido de divulgação, foi recebido por e-mail.

Sem comentários:

Enviar um comentário